"De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha
de ser honesto".

(Rui Barbosa)


quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Deputado Gesmar quer a regularização fundiária das terras das regiões sul e sudeste



Mesmo com pouco tempo na Assembleia Legislativa do Estado (ALEPA), o deputado Gesmar Costa (PSD) demonstra que conhece as realidades e carências da região. Na sessão ordinária de terça-feira, 14, usou a tribuna para defender a regularização fundiária das terras do sul e sudeste do Pará, segundo o parlamentar uma dos maiores gargalos para o desenvolvimento do homem do campo. 

O parlamentar aproveitou o horário de apresentação de projetos e falou da importância da regularização fundiária.

O pronunciamento foi num aparte, durante a exposição do deputado Fernando Coimbra  em aparte, durante horário de votação de projetos, quando estava em análise uma proposição do deputado Fernando Coimbra que "Dispõe sobre a implantação da Política de Incentivo ao Agronegócio no Pará". Gesmar disse que, somente com a regularização de terras, essa política poderá ser implantada. Ele sugeriu que a Casa chame para discutir o assunto o INCRA e o ITERPA. "Não há como conseguir linha de crédito, sem a regularização desses órgãos. Sem crédito, como dinamizar a produção?"

Resenha Política



Na segunda (06), o deputado Gesmar Costa (06) se reuniu com a secretária adjunta de Planejamento da Secretaria Estadual de Educação (Seduc), Mariléia Ferreira Sanches. ### Na ocasião, o parlamentar solicitou a criação de duas Unidades regionais de Ensino (Ures). Uma em Parauapebas e outra em Xinguara. A implantação das unidades desafogaria as demandas das Ures de Marabá e Conceição do Araguaia. ### Em contato com a coluna, Gesmar confidenciou que já está bem encaminhada e que a possibilidade das unidades serem implantadas é grande demais e pra muito breve. ### Na cerimônia de diplomação, a juíza Eline Salgado e o promotor Hélio Rubens alertaram aos eleitos que evitassem a prática antiga de ter afilhados políticos de vereadores à frente de secretarias. ### Segunda a magistrada, vereador é eleito para legislar e fiscalizar o Executivo e não para participar do governo, o que prejudicaria sua atribuição de fiscalizar. ### Pois bem, nem bem o ano começa e já surge rumores que as escolas foram rateadas para os vereadores. ### Segundo consta, cada vereador tem direito de indicar secretárias, diretores, professores e até serventes, merendeiras e atc, etc. Esse tipo de prática pode comprometer a qualidade do ensino que já não é lá essas coisas. Raimundo Neto, secretário de Educação, que sempre foi muito competente deve ficar atento a esse tipo de coisa para que a educação como um todo não sofra as consequências. ### No dia 15 deste mês acontecerá a sessão solene do início da legislatura. O presidente, Elias da Construforte (PSB) administrará os destinos da Câmara nos próximos dois anos. ### o se fazer presente na sessão legislativa e hostilizar a vereadora. ##Espera-se que os desmandos verificados na legislatura passada tenham chegado ao fim. Espera-se ainda que notícias de mau uso do dinheiro público deixem de existir. ### Na sessão inaugural prevista para a próxima quarta-feira, há uma expectativa. A direção dos movimentos da Palmares II que firam muito mal servidos com a vereador Eliene Soares (PMDB) estava planejando. ### Como se sabe, ainda rende a tentativa da vereadora de indicar a diretoria da escola Crescendo na Prática. Como há uma tradição de eleição para a direção da escola, criou-se aí um imbróglio que ainda não foi sanado. ### Diferentemente do dois primeiros mandatos, quando relegou a questão da água para segundo plano, o prefeito Darci Lermen agora está dando todo apoio aos Serviços Autônomos  de Água e Esgotos de Parauapebas (Saaep). ### Desta feita, os bairros Jardim Canadá e Parque dos Carajás receberão investimento nesse sentido e a previsão é que a oferta de água seja 24 horas nos próximos meses.  

Começando mal



Aliás, por falar em insatisfações, nota zero para a iniciativa do presidente da casa, Elias da Construforte em colocar uma pessoa completamente inapta para ficar na porta que dá acesso ao plenário. 

Al´m do cidadão não ter o menor cacoete pra coisa, já que não conhyece os atores da política local , ainda trata mal as pessoas que procuram adentrar no espaço.

Começando mal.  

Insatisfações




À boca pequena, possível detectar algumas insatisfações no âmbito do Poder Legislativo. Pelos corredores e para alguns interlocutores privilegiados, parlamentares comentam que os acordos para votação da presidência da Casa não foram cumpridos até agora, principalmente os que se referem a empregos.

Mais ainda, essas negociações teriam o aval do Executivo, ou seja, o esboço de calote teria a participação do Palácio do Morro dos Ventos. 

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Três sovas, uma no rabo da outra



Na semana passada, na Cidade Nova um trombadinha tentou “ganhar” um celular de uma adolescente que saía da escola. O pivete ameaçou a garota colocando a mão debaixo da camisa, o que causou pânico à vítima. O assalto só não se concretizou porque a garota tinha escondido o aparelho dentro da calça. O cara ainda tentou tirar o celular, na marra, enfiando a mão nas partes da garota, mas foi impedido por um cidadão que passava no local.


O ladrão pé-de-chinelo levou um corretivo daqueles, apanhou mais do que boi ladrão, mas conseguiu escapulir. Levou três sovas, uma no rabo da outra. A primeira porque tentou se apropriar do que não era dele, a segunda, porque andou metendo a mão onde não deveria e a terceira, também chamada de saídeira, por propaganda enganosa. Vocês não hão de crer que o pivete não tinha nem um canivete. Era o típico assalto à mão “desarmada”. 

OPINIÃO - Felicidade, sucesso e que tenham muito juízo



Na próxima quarta-feira (15) acontecerá a sessão solene para início de mais uma legislatura. O ato é tão importante que segundo a liturgia, representantes dos poderes Judiciário e Executivo se farão presentes.

Ainda que  o grosso da população não ligue a mínima para o fato, por considerar dispensáveis os serviços prestados pelos nobre edis, ainda que a culpa seja única e exclusiva dos próprios legisladores municipais, que ao longo do tempo promoveram imensas e variadas pataquadas, daquelas de fazer chorar o mais hilário dos cidadãos, O Poder Legislativo faz parte do tripé que sustenta a democracia, sendo, portanto, imprescindível para o desenvolvimento da cidade.

Constitucionalmente as atribuições do Legislativo (seja ele em nível federal, estadual ou municipal) é legislar, apresentando projetos de lei, emendando algumas leis que caíram em desuso e fiscalizar as ações do Poder Executivo, que por lei administra os recursos municipais. Por conta dessa atribuição, não é de bom tom uma proximidade excessiva desses poderes. Devem ser harmônicos, já que fazem parte de uma mesma engrenagem, entretanto, o conceito de harmonia não deve ser confundido com promiscuidade. 

Talvez por isso, na cerimônia de diplomação, ocorrida em dezembro último, a juíza Eline Salgado e o Promotor de Justiça, Hélio Rubens reiteradas vezes tenham chamado para que o gestor municipal se abstivesse de compartilhar secretarias com vereadores, chamando a atenção para o fato de que eles tinham sido eleitos exatamente para fiscalizar o Executivo e não poderiam de forma alguma fazer parte da máquina administrativa.

O recado foi dado, resta saber se terão bom senso para entender. O prefeito de nomear e os vereadores de exigir. Como conselho é igual a café, toma quem quer...
A saideira. Essa legislatura tem a responsabilidade de apagar a má impressão deixada pela anterior, na qual quarenta por cento dos vereadores tiveram que deixar os cargos com sérias denúncias de irregularidades no trato da coisa pública. Nos anais da história, isso nunca ocorrera, talvez por parcimônia dos vereadores, ou talvez por conta de uma atuação mais rigorosa do Ministério Público que de uns tempos pra cá resolveu endurecer.

Essa tendência veio para ficar, é bom os atores envolvidos entenderem de uma vez por todas. Aqueles que gastaram excessivamente na campanha perceberão que a fase da coisa correr frouxa ficou no passado e se tentarem fazer fora da casinha correm um sério risco de saírem de manhãzinha a bordo de uma multiescura viatura.

Felicidade e sucesso a todos. Tenham juízo. 

Coluna do Marcel Nogueira


Matando a galinha dos ovos de ouro

Todos os anos as quase 12 mil empresas do município começam a dura batalha para se manter de pé, sem saber ao certo se terminarão o ano vivos no mercado. São dificuldades inerentes do próprio mercado e outras que são colocadas casualmente ou por pura perversidade por parte daqueles que deveriam facilitar-lhes o caminho.
Deve-se dizer que alguma eventual facilidade para adiantar o lado do empresariado, tão fustigado por uma carga tributária desumana não deve ser colocada na conta da alguma benemerência por parte do Poder Público, ao contrário, deve ser tomada com uma sinalização de boa vontade para um importante e fundamental aliado que atua na geração de emprego e renda.

A importância dessa parcela da sociedade, normalmente demonizada como demasiadamente mercantilista, deveria ser reconhecida publicamente, afinal de contas, matar um leão por dia e com seus impostos sustentar o fausto da corte não é pra qualquer um.

Na semana passada fiquei pasmado quando um contador amigo meu me confidenciou que no frigir dos ovos um processo de licença de operação chega a custar de R$ 4 a R$ 5 mil, incluindo aí custo com contador, técnico que monta o processo e as taxas municipais. Imagine um micro empresário que tenta se equilibrar na corda bamba de sombrinha, gerando emprego, comprando, pagando, dando volume de jogo na atividade econômica e ainda assim, pagar taxas sem pé nem cabeça, Alvará de localização, ISS, ICMS Imposto de renda e os escambau de bico. Não é a toa que de cada cinco empresas que são abertas, três não vivem para comemorar o quinto ano de existência.

O governo que se preza precisa arrecadar, até porque  precisa dar resposta aos serviços sociais, entretanto, há muitas maneiras de arrecadar sem asfixiar um parceiro importante. Exemplo: A planta de valores do município, que é a base pra cobrança do IPTU está desatualizada há pelo menos 20 anos. Hoje em dia cerca de 90 mil residências existentes na cidade pagam muito ou nenhum IPTU. Enquanto isso uma minoria tem que carregar o município nas costas pagando taxas e tributos exorbitantes. Em outras palavras, como o município não consegue cobrar de todos, sacrifica os que estão mais à mão. Lembram-se da história da galinha dos ovos de ouro? Pois é, o município está matando a galinha.

O justo seria atualizar a planta de valores, atualizar o IPTU, cobrando um tributo justo, sem exageros e desonerar o setor produtivo.


Num momento em que milhares de pessoas perambulam pelos corredores da prefeitura em busca de empregos, proteger a iniciativa privada, principalmente os micro e pequenos empresários, é sem dúvidas uma iniciativa inteligente. 

Capa do HOJE 633, já nas bancas e nas ruas



sábado, 4 de fevereiro de 2017

Assassinato em plena Cidade Nova à luz do dia

Assassino de camisa listrada após executar o crime e o trabalhador, vítima de execução 

Mostrando que o clima de insegurança está cada vez mais acentuado, um crime bárbaro ocorreu ontem (03) na rua C,  na Cidade Nova, pela parte da tarde. Jurandir Alves Feitosa, funcionário  da empresa Traterra foi alvejado por um desconhecido após adentrar em um veículo, momento em que o individuo se aproximou e efetuou vários disparos, ceifando a vida de Jurandir.

Mais tarde a polícia disponibilizou imagens das câmeras de segurança, revelando as características do assassino, de estatura de cerca de 1.80m, cor morena e na ocasião trajava uma camisa listrada, com predominância na cor azul. 

O vídeo mostra o assassino se aproximando e Jurandir ainda em pé, se preparando para adentrar no veículo. Quando o algoz percebe que Jurandir tomara seu assento do motorista ele saca o revolver e se beneficiando do fato de o vidro da janela lateral está abaixado, atira algumas vezes, colocando a arma na cintura e se afastando rapidamente.

Em plena luz do dia - O crime mostra que a execução foi em plena luz do dia e o aassasino, até então não identificado não temeu nem ser reconhecido pelas câmeras de segurança, que ficam na via pública. 

O delegado Bruno Fernandes disponibilizou as imagens e pede que quem souber o paradeiro do bandido que tirou a vida do trabalhador que procure a delegacia. Sua identidade não será revelada. 

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Dia do publicitário



Irmão siamês do jornalista, cuja expetize é a comunicação social, o publicitário comemora hoje seu dia. Nós, jornalistas desejamos felicidades a todos os publicitários, com especialidade aos de Parauapebas. 

Que continuem desenvolvendo esse trabalho maravilhoso.   

Muita gente na prefeitura



Pois é, o blog comentou na semana passada que a prefeitura estava voltando à normalidade. Esquece. Não está. Não se sabe de onde aparece tanta gente, mas o fato é que todos os dias centenas de pessoas ficam perambulando nos corredores do casarão do Morro dos Ventos. Essa toada começa bem de manhãzinha e vai até quando o guarda passa o cadeado. 

Salvo pouquíssimas exceções, quase todos querem mesmo é uma vaguinha. Hoje, por exemplo, tinha aproximadamente 500 pessoas. Está complicado trabalhar assim, mas a tal da oportunidade não sai da cabeça dos "cobocos". 

Jornal HOJE, edição 632


segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

município abre guerra contra o aedes aegypti

          Trabalho dos agentes ambientais - alerta amarelo


É como se fosse uma batalha que não tem fim, com a intensificação do período chuvoso intensifica-se também o combate ao mosquito aedes aegypti, responsável pelas manifestações de doenças como a dengue, zika vírus, chicungunya e até a febre amarela. 

Nesse período, 88 agentes da vigilância ambiental percorrem cerca de 70 bairros da zona urbana, ale, das comunidades rurais. Missão: conscientização da população e eliminação dos possíveis focos e criadouros do mosquito. Apesar de os procedimentos de segurança para não deixar o mosquito se proliferar, serem conhecidos pela população, ainda é comum encontrar focos do mosquito na áreas urbanas e até na zona rural. 

Para Mickael Gross, coordenador da Vigilância Ambiental diversos fatores contribuem para que o combate ao mosquito e as doenças que ele provoca se torne uma luta constante. “A nossa população ainda tem hábitos que facilitam a vida do aedes aegypti. Tambores, recipientes de água deixados sem tampa, caixas d'água, uma casca de ovo quebrada, garrafas com a boca para cima, fossa, ou até um depósito de água perto do motor da geladeira, qualquer coisa que possa acumular água é um criadouro em  potencial”. Gross chama a atenção para outra situação que se tornou recorrente. “Com a crise econômica da cidade, muitos trabalhadores ficaram desempregados e tiveram que ir embora deixando as residências vazias e isso dificulta o trabalho do agente, que não tem acesso a esses locais  que podem esconder o mosquito”, diz.

O mosquito - O termo Aedes aegypti tem na sua origem grego-latina que na nomeclatura  algo relacionado a mosquito do Egito, onde supõe-se ser a sua origem. É uma espécie de mosquito da família Culicidae proveniente da África, mas hoje em dia está presente em quase todo mundo, especialmente em regiões tropicais e subtropicais, sendo dependente da concentração humana no local para viver. 

O mosquito está bem adaptado a zonas urbanas, mais precisamente ao domicílio humano. O seu controle é difícil, por ser muito versátil na escolha dos criadouros onde deposita seus ovos, que são extremamente resistentes, podendo sobreviver vários meses até que a chegada de água propicie a incubação. Uma vez imersos, os ovos desenvolvem-se rapidamente se transformam em larvas, que dão origem às pupas, das quais surge o adulto. Como em quase todos os outros mosquitos, somente as fêmeas se alimentam de sangue para a maturação de seus ovos. 

Atualmente, foi descoberto que a fêmea não se reproduz somente em água limpa e parada, pelo contrário. O mosquito pode se reproduzir em águas com altos níveis de poluição, como o esgoto por exemplo. 

O Aedes aegypti foi introduzido na América do Sul através de barcos provenientes de África. Nas Américas, admite-se que sua primeira colonização sobre o Novo Mundo ocorreu através dos navios negreiros no período colonial junto com os escravos. No Brasil, o Aedes aegypti havia sido erradicado na década de 1950; entretanto, nas décadas de 1960 e 1970, ele voltou a colonizar esse país e permanece até hoje. 

Parceria com a população – A Secretaria de Saúde entende que o caminho mais fácil para chegar ao sucesso na luta contra o mosquito é a parceria com a comunidade. Cuidados básicos como cobrir a caixa d'água, não deixar pneus velhos no quintal, não acumular água no jarro de plantas são fundamentais.

No último Levantamento de Índice Rápido de Aedes (LIRA), obrigatório em todos os municípios com mais cinco mil habitantes, de 07 a 13 de janeiro, acendeu-se a luz amarela. O índice medido em novembro do ano passado, que era de 2,6% de incidência, subiu para 5,4%. Em outras palavras, de cada 100 residências visitadas pelos agentes um pouco mais de cinco foi verificada a presença do mosquito. Estado de alerta, principalmente em algumas localidades como Palmares I e II, Liberdade I, Altamira e outros bairros próximos de florestas ou cursos de água. 

A luta é infinita, mas se a cidade abraçar a causa, ela será a grande beneficiária.  

Filas



filas e mais filas. filas na bolsa de emprego, filas no Hospital Geral de Parauapebas, filas na prefeitura pra conseguir uma boquinha e agora tem filas no cartório da Cidade Nova. Todo mundo dando uma guaribada na documentação, autenticando comprovante de escolaridade e por ai vai. Parauapebas alem de ser a cidade dos muros baixíssimos também está se convertendo na cidade das filas. 

domingo, 29 de janeiro de 2017

Charge de domingo


Gesmar visita lideranças de Morada Nova e dos municípios vizinhos




  
O deputado Gesmar Costa (PSD) não para. Depois de percorrer 11 municípios da região na semana passada, visitando as bases e tomando conhecimento das demandas dos municípios visitados, neste domingo (29) o parlamentar esteve presente em Morada Nova, a 12 quilômetros de Marabá.

Na eleição de 2014, Gesmar teve uma expressiva votação na localidade e a visita desse domingo é antes de tudo um resgate do compromisso de um mandato popular e democrático, no qual todas as correntes políticas que estiveram presentes na campanha terão vez e voz.

O encontro ocorreu na residência de Marinei e contou com outras lideranças de Morada Nova e dos municípios de Jacundá, São João do Araguaia e São Domingo do Araguaia. O deputado federal Beto Salame também compareceu ao evento.

O tom do encontro girou em torno das demandas e carências da região, que muitas vezes se ressente da presença dos políticos da capital. O parlamentar colocou o mandato à disposição da comunidade da região, “tenho dito que no exercício do mandato, eu como deputado do PSD tenho que priorizar sempre os interesses das regiões Sul e Sudeste do Pará. Vou levar as demandas para Belém e com certeza esses município terão muitas conquistas”. Gesmar enfatizou que sua principal atribuição é atuar como um facilitador para tornar realidade as demandas verificadas.


Registre-se que em praticamente todos os municípios do Sul e Sudeste do Pará, Gesmar teve significativa votação. Na ocasião, o parlamentar do PSD enfatizou que as visitas vão continuar, “não quero ser um deputado de gabinete, quero ver de perto as necessidades da população e assim ter conhecimento de causa para lutar em Belém por melhorias das mesmas”, finalizou. 

sábado, 28 de janeiro de 2017

Briga de irmãos





A tensão nas Vila Palmares I e II de fato existe. Ao contrário do que muita gente imaginava, há muitas correntes dentro dos diversos movimentos existentes, entretanto, uma situação é real. A maioria votou no atual prefeito, Darci Lermen nas eleições de outubro.

Ou seja, são todos oriundos de uma mesma raiz, o PT e os movimentos sociais, como o MST. Por conta dessa origem comum é que causou estranheza à cidade inteira a contenda. Parece briga de irmãos.

O fato real é que os moradores das duas palmares  sempre conseguiram escolher os diretores de escola, mas, com a chegada do novo governo, essa regra foi quebrada. A Secretaria de Educação, segundo informações, tem uma grande influência da vereadora Eliene Soares, que pretende indicar os diretores. 

Pronto. É isso. Pode até haver outros ingredientes, mas a raiz do problema é esse. Abacaxi pra Lermen descascar. 

Voltando à normalidade



Depois do corre-corre das últimas três semanas, os corredores da prefeitura começam a volta à normalidade. Ao que parece que a galera chegou a conclusão que quem comeu, comeu; quem não comeu, não come mais. 

COLUNA - Adepto do nadismo



Muitas peripécias de Mário filósofo - aquele ermitão que habitava uma cabana velha lá pras brenhas do Araguaia - poderiam ser colocadas na conta do imenso folclore que o circundava, de modo que não sei precisar se esse episódio é mais uma das muitas invencionices popular, coisa de matuto que na falta do que fazer preenchia as noites, reproduzindo essas marmotas. Pelo sim, pelo não, vou vender do preço que comprei.

De Mário ninguém podia duvidar de nada, sua vida era um completo mistério, às vezes era visto perambulando nos estreitos caminhos, em companhia dos seus dos cachorros perdigueiros, Mirasol e Miralua e em outras ocasiões só se ouvia o seu cantarolar estranho no meio da noite escura. Por conta disso tinha gente que era capaz de jurar que jurava que ele tinha parte com o canhoto, ou se transformava em lobisomem nas noites de lua nova.

Fora essas coisas malucas, ele era gente boa, cheio de manias, mas gente boa. A ele recorria àquela gente em busca das gotas de sabedoria que ele espalhava pelo caminho. Remédio pra panarício, unha encravada, constipação, gravidez complicada e até quebranto dos bacurizinhos, tudo era com ele.

A única coisa que não combinava com ele era uma jornada no rabo da foice ou da enxada, porque ele nunca fora disso, a bem da verdade, por uma questão filosófica ou por pura preguiça, era adepto do “nadismo”, aquela ideia do sujeito passar o dia todo sem fazer nada, só curtindo o lento passar do tempo.

Naquelas paragens do Araguaia não fazer nada na vida nunca foi coisa do outro mundo; a maioria dos ribeirinhos cultivava próximo de casa uma ou duas linhas de mandioca, de onde se tirava a farinha, o tucupi, a massa pra tapioca, uma dúzia de galinhas de capoeira e era só. Com a generosidade do rio o cardápio estava garantido.

E foi numa dessas tardes bucólicas que um granfino da cidade encontrou Mário à sobra de uma sumaúma, consertando as malhas de uma tarrafa. A seu lado um puçá atopetado de Curimatás e piaus.   

Agastado ao ver tanta malemolência numa só criatura, o típico cidadão urbano puxou conversa:

- E ai amigo, muito peixe?

Mário se levantou meio a contragosto, descansou o corpo numa perna, depois na outra. – Tem uns dois, aqui costuma dá muito peixe.

- O senhor faz o quê com o peixe?

Mário pareceu ouvir coisas do outro mundo. – Fazer o quê? é pro meu consumo meu patrão.

- Você não vende o que sobra?

- Não sobra, eu só pesco o que eu dou conta de comer.

- Você não pensa no futuro? Por que vocês aqui da região não montam uma cooperativa e passa a pescar em grande quantidade?

- Por quê? – Quis saber Mário.

- Por quê? Ora porque, pra vocês se desenvolverem, produzir, ganhar dinheiro.

- Mas...pra que? - Tornou a perguntar.

O granfino coçou a cabeça atordoado. Não acreditava que aquele camarada no alto dos seus quarenta e tantos não valorizasse o dinheiro que movia os moinhos do mundo – Você não pensa no futuro? Veja, com uma produção, vocês poderiam abastecer essas cidades do entorno, adquirir veículos para transportar o produto, conseguir financiamento para fazer galpões com câmaras frias para armazenamentos, enfim, crescer, progredir.

- Sim, mas, pra quê?

O cidadão se sentou num raiz da sumaúma, se serviu de toda paciência que ainda lhe restava e decidiu colocar “juízo” na cabeça daquele sujeito xucro 

– Para quando você estiver velho, com 70, 80 anos possa ter condições de ter uma vida tranquila, uma casa na beira da praia, uma rede preguiçosa, muitos netos e não precisar de nada – disse.

Mário, que não era outro, senão a voz explícita da sabedoria, travestida em um caboclo ribeirinho, coçou a barbicha e fechou a questão: - Por que devo esperar ter 70,80 anos pra viver tranquilo, se eu posso viver tranquilo agora?


Mais do que isso seria pedir demais.  

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Resenha política



Darci Lermen está mostrando um de suas melhores facetas: o trato com o público. Mesmo que a situação não seja das melhores ele para e conversa e na maioria das vezes tem tido sucesso. ### Nesses dias nos quais a prefeitura tem sido ocupada por centenas de pessoas em busca de empregos, ele tem parado e dado atenção aos cidadãos. ### Como o fluxo de pessoas tem sido excessivo na semana passada ele teve que fechar o boteco e dar expediente em local ignorado, pelo menos para grande parte do pessoal que dava plantão na prefeitura. ### Em meio a reclamação geral, seja dos funcionários que ficavam muito tempo sem receber, seja da população que não estava nenhum pouco satisfeita com os serviços de saúde ofertados, a saga da GAMP no município chegou ao fim. ### Segundo apurado o prefeito colocou uma pá de cal em cima e deu um adeus à GAMP. ### A história da GAMP e bem parecida com a OSCIP Bem Viver, que foi contratada há cerca de seis anos pra fazer os serviços de saúde, coisa que a prefeitura poderia desenvolver tranquilamente. ### No fim, depois de dar muitos prejuízos, a Oscip foi embora e não deixou a menor saudade. O mesmo está acontecendo com a GAMP. ###  Mostrando que gosta de se misturar no meio do povo, na última sexta, por ocasião da largada da 13ª Corrida de São Sebastião, o prefeito Darci Lermen se fez presente e fez questão de dá um alô aos competidores. ### Quase que o gestor colocava uma roupa mais esporte e caia na pista. Isso é fazer política. Com certeza os competidores voltarão para os locais de origem e vão narrar essa passagem. ### O deputado Gesmar Costa reuniu com o seu grupo político no último dia 13. Cerca de 200 lideranças prestigiaram o evento que aconteceu no salão de festas da Igreja Grão de Mostarda. Primeiro o deputado concedeu coletiva para a imprensa local, sendo recepcionado depois. ### Gesmar afirmou que colocaria o mandato de deputado à disposição de todos, inclusive do prefeito, “não se pode exercer um mandato olhando pro passado, trabalhei e queria muito que meu candidato a prefeito vencesse as eleições, mas não foi possível, agora os interesses do município falam mais alto, ### Gesmar tem uma excelente capacidade de articulação e com certeza o município terá muito a ganhar com sua atuação parlamentar. ### Nem bem começou o governo municipal e as picunhas já estão dando o ar da graça. Lideranças da vila Palmares II divulgaram um manifesto condenando a tentativa da vereadora Eliene Soares (PMDB) de nomear a direção da escola. ### As lideranças deixaram claro que não aceitarão interferência e lembram que há muito tempo a direção da escola é definida por votação. ### Por seu turno partidários da vereadora rebatem que o pessoal da escola é ligada ao ex-vereador Israel Barros , o “Miquinha”, (PT), que perdeu a eleição e quer continuar comandando os empregos públicos na vila. ###


Prefeito emprega eu



Lembram daquela parte do governo anterior no qual um monte de empresários inaugurou o tal do movimento "Prefeito paga eu"?

Pois é, não se admirem se derepentemente pintar por esses dias o movimento "Prefeito emprega eu". É malandro, a coisa tá russa.

Saiu na mão



O comentário que rola nas rodas de habituês políticos é que nesta semana um funcionário público entrou numa discussão com uma daquelas centenas de pessoas que passam o dia na prefeitura em busca de um lugarzinho ao sol. 

Dizem que o camarada chegou sair na mão. 
  

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Genérico ou ao pé da letra?



Depois de alguns dias fechada, prefeitura de Parauapebas volta a normalidade, se é que se pode chamar de normal o fato de centenas de pessoas perambulando nos corredores, atrás de uma vaga de trabalho, que segundo eles foram prometidas durante a campanha. 

Os defensores do prefeito dizem que a tal da oportunidade era algo genérico, mas, pelo jeito o povão está interpretando o termo ao pé da letra e quer um empreguinho pra chamar de seu.

Informação inverídica





A Secretaria Municipal de Saúde (SENSA) avisa a população que é inverídica a informação de que uniformes de agentes do setor de endemias teriam sido roubados e que ladrões estariam utilizando a indumentária pra praticar assaltos nas residências. A notícia estaria espalhando pânico desnecessário na população e consequentemente atrapalhando o trabalho dos agentes que têm encontrado dificuldade para entrar nas residências para procedimento de inspeção e combate ao mosquito aedes aegypti.

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Recursos do carnaval ainda indefinidos



25, 26, 27 e 28 de fevereiro serão os dias de carnaval. Por enquanto uma indefinição sobre os recursos que serão disponibilizados para o carnaval.

Os diretores de blocos e escolas de samba dizem que os preparativos da festa já estão atrasados e procuram o novo secretário, Wandernilson Popó Costa.


Em conversa com o blog, Sindma Pinto diz que com ou sem recursos oficiais a escola de Samba Mocidade Independente do Primavera vai pra avenida. O mesmo garante Rui Pinto, da escola Arrastão Pai d'égua.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Carnaval de volta à Praça dos Eventos



Informações chegadas ao blog dão conta que o carnaval de 2017 voltará ao seu lugar de origem, ou seja, a Praça dos Eventos. O secretário de Cultura, Wandenilson Costa, o "Popó" considerou que o carnaval na Cidade Nova ficaria mais central para os foliões. 

Decreto de emergência



A decretação de estado de emergência financeira decretado pelo prefeito Darci Lermen ainda vai passar pelo crivo do Ministério Público. O MP vai querer saber os motivos da decretação . Explica-se: quando há decretação de estado de emergência ou de calamidade abre-se exceções para contratação ou aquisição de materiais e produtos sem os devidos processos legais, como dispensa de concurso para contratação de pessoal e dispensa de licitação para compra de insumos e outros bens. 

Só registrando, não só Parauapebas, mas outros municípios também lançaram mão da medida e se a moda pega, ninguém mais vai fazer licitação,basta um decreto de estado de emergência. 

Evento



No próximo dia 27, às 19:00h, a Associação Regional dos Municípios Pró-Carajás (Asmec) estará realizando um encontro regional. O evento acontecerá no salão da Câmara de Vereadores e contará com lideranças municipal e regional, onde serão discutidos temas  de fortalecimento da entidade e a mobilização da região para a retomada da luta pela emancipação político-administrativa.

Na ocasião será criada a Associação Municipal Pró-estado do Carajás de Parauapebas (Ampec).  

Maranhão perde a vida em acidente


                              O acidente atraiu muita gente até a beira do lago

Na madrugada de hoje (16) o empresário do ramo de chaves, José Ribamar, conhecido como "Maranhão Chaves" sofreu um terrível acidente e veio a óbito. 

Maranhão perdeu o controle do seu veículo, uma hilux branca e se precipitou em um lago na entrada da vila Palmares II. Não se sabe ainda se o empresário veio a falecer vítima de afogamento ou em consequência de algum trauma por ocasião do acidente. 

O empresário era bastante conhecido na cidade e era pioneiro, tempo chegado em Parauapebas no início dos anos 80. Segundo consta, o velório acontecerá na Câmara de vereadores.

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), entidade a qual Maranhão era associado divulgou uma nota lamentando o fatídico acidente.  

domingo, 15 de janeiro de 2017

Em busca de oportunidade



Não é só no cartório da Cidade Nova que há aglomeração. Nas dependências da prefeitura a situação é a mesma. um grande número de pessoas lotam os corredores da sede da prefeitura querendo a parte que lhe toca no latifúndio do governo de oportunidade.

Esperamos que tudo termine bem.